Porque em Gondomar, quando a Câmara se compromete cumpre......


Realizou-se, no dia 10 de Fevereiro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Gondomar, a assinatura de um Contrato-Programa de Desenvolvimento Social com a APPC (Associação do Porto de Paralisia Cerebral / Villa Urbana de Valbom). Este contrato visa apoiar a construção de quatro salas de educação pré-escolar e três salas de formação, traduzindo-se num apoio, por parte da Câmara de Gondomar, de 54.000 euros.


Foram também formalizados os restantes 15 protocolos (do total de 206) dos Programas de Apoio ao Associativismo Cultural, Desportivo e Social. Este programa representa, para a Câmara Municipal, um investimento superior a um milhão de euros.

A Associação do Porto de Paralisia Cerebral inaugurou, em finais de Novembro, o Jardim-de-Infância “Urbanitos”, estrutura integrada nas instalações da “Villa Urbana”, em Valbom. Nessa ocasião, sensibilizado pela dimensão da obra (e consciente do esforço financeiro que a mesma representa para a Associação do Porto de Paralisia Cerebral), o Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Valentim Loureiro, assegurou que iria apresentar proposta para a atribuição de um apoio financeiro. Verba que, agora, foi formalizada com a assinatura de um Contrato-Programa de Desenvolvimento Social (que representa um apoio total de 54.000 euros).

“Foi um compromisso público que assumi, e que agora se concretiza”, disse Valentim Loureiro. Abílio Cunha, Presidente da APPC, destacou recentemente, em entrevista à Imprensa Local, que o Presidente da Câmara de Gondomar é uma pessoa com “sentimentos nobres e, sobretudo, visão estratégica (ao perceber o impacto deste projecto para a comunidade)”. Sobre o apoio entretanto formalizado, o responsável da APPC salientou não ficar surpreendido com as atitudes de Valentim Loureiro, “que são sempre surpreendentes e revelam o seu grande carácter e a sua dedicação à Câmara Municipal de Gondomar”.

Não estando a contar com a generosidade da Câmara de Gondomar ao apoiar 50% do empréstimo contraído pela instituição (para permitir efectuar o pagamento da construção do Jardim de Infância), Abílio Cunha referiu que “é uma atitude reveladora de um Presidente que consegue compreender as dificuldades. E do Homem que não tem medo dos desafios.”

Na mesma cerimónia, depois de formalizado o Contrato-Programa com a APPC, foram ainda assinados, com 15 instituições locais, os protocolos de apoio ao movimento associativo.

Trata-se da continuidade de uma cerimónia de finais de 2010 na qual, por diversas razões, as 15 instituições em questão não tiveram oportunidade de comparecer. O Programa de Apoio ao Movimento Associativo representa, para a Câmara de Gondomar, um apoio total superior a um milhão de euros – para as áreas social, desportiva, cultural e recreativa.

Na globalidade dos contratos assinados, são 170 as associações abrangidas, representando 206 protocolos. O total de apoios concedidos foi de 1.029.014 euros (sendo quase 290 mil euros para 98 colectividades culturais e recreativas, mais de 581 mil euros para 85 associações desportivas e, finalmente, perto de 160 mil euros para 23 instituições sociais). Este programa, que data de Março de 1995, é uma forma de regulamentar os apoios concedidos, fazendo-o em função dos projectos e candidaturas apresentados.

Compareceram, nesta cerimónia conjunta, para além do Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Valentim Loureiro, e dos responsáveis pela APPC e restantes 15 associações protocoladas, os vereadores Fernando Paulo, Daniela Himmel, Joaquim Castro Neves, Leonel Viana e, ainda, José Santos, Assessor do Desporto da autarquia.

Sem comentários: