A ti, meu Pai.

Pai, meu amigo, a quem eu sigo

E contigo aprendo a crescer e como o pai quero ser
Fizeste-me andar, ensinaste-me a caminhar
Neste caminho que é a vida
Pai, meu herói, meu amigo
Que a doença enfrentas como o mais feroz dos soldados
Em novo combate te encontras
Pai, vence mais este combate
Por favor, vence, não vás
Nós ainda precisamos de ti
Dos teus conselhos amigos da tua palavra amiga
Da tua repreensão, da tua chamada de atenção
Não vás sem mim, não me deixes sozinho
Sem ti sem o meu herói, quem sou?
Sem o homem que é o meu pai?
Hoje não sou pai nem marido, não sou nada
Sou apenas o teu filho que te pede que venças
Pois tenho medo de te perder meu pai
Pai, fica, não vás.
Que possas um dia ver este mensagem
E dizeres; MEU FILHO, ACHAS QUE VOS DEIXAVA?

3 comentários:

Anónimo disse...

Dani, sei que as coisas estão dificeis, mas a esperança é aquela que nunca morre.
Abraço do pessoal de Ramalde.

Amordemadrugada disse...

Txi Daniel!
Fez-me chorar amigo!
Já percebi que é um homem extremamente sensível e agarrado ao progenitor (que não deve estar bem)
Espero do fundo do coração que o pai leia a sua mensagem e lhe possa dizer que estará sempre consigo!
Fé Daniel
Bom fim de semana amigo meu
besito
e melhoras
muita luz

Daniel Fernandes disse...

Madrugada, tem toda razão, apenas a fé e nada mais neste momento.
Beijinhos e obrigada pelas palavras amigas.