Regresso formal de Valentim Loureiro, após intervenção cirúrgica. Unanimidade na reunião pública de Câmara

A reunião pública mensal da Câmara Municipal de Gondomar, realizada na manhã de 20 de Maio, fica marcada por dois pormenores. Em primeiro, o “regresso” formal, de Valentim Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Gondomar (que havia sido sujeito a uma intervenção cirúrgica). A segunda curiosidade é a aprovação, por unanimidade, de todos os pontos em discussão.



Foto: Gabinete de Imprensa CMG

Depois de um “interregno”, justificado por uma intervenção cirúrgica, Valentim Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, regressou na plenitude às suas funções enquanto autarca. E, curiosamente, para participar na reunião pública mensal durante a qual, sem excepção, todos os pontos em discussão foram aprovados por unanimidade.

Os Centros Escolares, a aquisição de terrenos (para a ligação do Nó dos Carregais, no IC 29, à EN 209), a utilização do Multiusos, apoios a instituições locais e a venda de habitações foram os principais assuntos em debate.
Ainda antes do início da reunião, ficaram os agradecimentos públicos do autarca: “Tenho que transmitir um agradecimento muito especial a todos os amigos, vereadores deste Executivo, autarcas locais e, principalmente, aos Gondomarenses que me enviaram inúmeras mensagens de melhoras!”, realçou Valentim Loureiro. Rui Quelhas, vereador do PSD, em nome de toda a oposição camarária, disse que se congratulavam com o retorno.
Desta reunião fica, essencialmente, o destaque que o Presidente da Câmara Municipal de Gondomar deu à crise nacional e internacional. “É uma situação muito difícil, a que se atravessa, e implica que todos desenvolvam as medidas adequadas para ajudar a resolver estas questões”, disse Valentim Loureiro. E, por tal, destacou que a Câmara, para além das imposições das mais recentes medidas governamentais, também irá promover uma mais eficaz poupança e, em alguns casos, “adiar as obras que sejam menos prementes”. Mas, esclareceu o Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, não iremos fazer cortes nas áreas que consideramos essenciais e imprescindíveis”, elencando a Saúde, o Ensino e a Acção Social.
Arménio Martins e Justino dos Santos, vereadores eleitos pelo PS, assumiram semelhantes opiniões sobre a situação económico-financeira. Por tal facto, Justino dos Santos mostrou a total disponibilidade do PS em analisar e participar, de forma construtiva, em todos os processos de discussão sobre o futuro do Concelho de Gondomar.
A única intervenção crítica de toda a reunião ficaria, curiosamente, reservada para o Vereador Fernando Paulo. O responsável pelo Pelouro de Acção Social da Câmara criticou os organismos governamentais por, numa altura de crise (e de especiais necessidades das famílias mais carenciadas), “estar a descurar algumas áreas de intervenção, deixando as estruturas locais desprotegidas e com uma muito reduzida capacidade de actuação”.

Sem comentários: