Ponte de Medas operacional em 2011.

A nova ponte sobre o Rio Douro, que fará a ligação da freguesia de Medas (Gondomar) a Lever (Gaia), estará operacional a 1 de Abril de 2011, assegurou o Ministério das Obras Públicas.
A finalização desta que será a maior das cinco pontes rodoviárias junto à foz do rio, permitirá o atravessamento do Douro sem ter que passar pelo Porto. Representará, quando concluída, o fecho do grande anel rodoviário metropolitano, também designado por Circular Regional Exterior do Porto (CREP).


Foto: Gabinete de Imprensa CMG


A nova ponte, que irá ligar Medas (Gondomar) a Lever (Gaia), estará operacional em Abril de 2011, segundo indicou o Ministério das Obras Públicas. A travessia, concebida pelo projectista Armando Rito, terá quase 760 metros de comprimento, 45 metros de altura (na parte de maior elevação ao rio) e três vias de circulação em cada sentido. A ponte será constituída por dois tabuleiros (edificados paralelamente com 20 centímetros de distância).

Construída em betão armado pré-esforçado, conta no total com seis vãos (o maior de 150 metros) e cinco pilares duplos, dois dos quais assentes no rio.
A ponte estará operacional no mesmo dia em que será aberto o tráfego da A41, apesar do fecho dos tabuleiros poder verificar-se ainda até ao final de 2010. Neste momento trabalham na construção da ponte cerca de três centenas de trabalhadores. Quanto à designação da ponte, não existe, ainda, qualquer decisão sobre o nome a escolher.
A nova ponte, entre Medas e Lever, representa um investimento de 35 milhões de euros.
Nas duas margens que a ponte irá ligar, as opiniões são unânimes sobre as vantagens da obra: Valentim Loureiro defende que a obra é “absolutamente necessária”. O Presidente da Câmara de Gondomar destaca, também, a “grande importância desta Circular Regional Exterior do Porto, uma obra que já devia estar feita há muito tempo”, e realça que «o Concelho ter-se-ia desenvolvido mais depressa se, porventura, tivesse as acessibilidades que agora existem e estão a ser construídas”.
Aquando da sua visita às obras que estão a ser realizadas em Gondomar, em Março, o ministro das Obras Públicas, António Mendonça, destacou que esta ligação garantirá o descongestionamento da VCI “em cerca de 13 mil veículos por dia, menos 12,5% do tráfego que, em média, actualmente circula nessa via”.
No âmbito da concessão rodoviária Douro Litoral estão a ser construídas três auto-estradas: a A41, que ligará Picoto (Espinho) ao nó da Ermida, a A43, entre Gondomar e Aguiar de Sousa, e a A32, entre S. João da Madeira e a Ponte do Freixo, com 34 quilómetros.
O investimento total nos três troços (e beneficiação de 53 quilómetros de vias já em serviço) representa um investimento de 872 milhões de euros.

Sem comentários: