Leandro, 12 anos, lamentável morte.

A vida de Leandro parou com apenas doze anos de idade.

Farto de apanhar dos colegas de Escola, decidiu que não mais apanharia de mais nenhum colega atirando-se ao rio e acabando com a própria vida.
Leandro sofreu calado, em silêncio se foi, farto de levar porrada daqueles com quem era suposto conviver, brincar enfim se darem bem, pois todos eram colegas de Escola.
Segundo os seus familiares, ele até já tinha estado internado por ser agredido na Escola, mas nem mesmo assim a Escola nada fez para que ele, o Leandro, parasse de levar porrada e consequentemente alimentou a ideia do suicídio.
A Escola EB 2,2 Luciano Cordeiro diz que só tem registadas duas situações em que as vitimas são duas empregadas da Escola.
Ora e dos alunos não se registam as situações?
A família do menino Leandro diz que aquando do internamento do menino, fez queixa na Escola e esta nada fez e sabe-se agora que essa situação que se passou no interior da Escola nem registada foi.
Conheço o trabalho do Dr. António Leite responsável da DREN e acredito que se a Escola tivesse reportado esta situação a DREN teria tomado uma atitude.
Contudo é preciso que este triste fim de Leandro não sirva só de tema de escrita, debates ou se use o nome desta criança para preencher horários de noticiários.
É preciso isso sim se apurar o que se passou de facto, pois a ninguém cabe por a culpa do menino se ter atirado à água, mas todos têm culpa do motivo.
Será que ninguém ouviu o silêncio desta criança?
Aos familiares além das queixas que fizeram na Escola, que mais atitudes tomaram?
Ninguém terá dado a devida importância às queixas do Leandro, que o levou a cometer suicídio?
Será que uma criança assim tão desesperada não mostra sinais que está a sofrer?
Não estou à procura de culpados, mas sim de perceber o que fazemos nós adultos pelas crianças, pois quando elas tomam atitudes deste género estão a nos dar sinais claros de que não confiam em nós para as ajudar, que não há mais solução.
A Escola que passos deu para manter a segurança dos alunos que lhes estão a cargo e ao seu cuidado?
Para manter a estatística não registaram a queixa, para que como disse o tal representante da Associação de Pais.” O mesmo responsável acrescenta que "a DREN produziu um estudo relativamente à existência de bullying em escolas da região e esta foi das mais bem classificadas".
Pois bem, se a Escola não regista as queixas é claro que fica bem classificada, à custa da batota.
Só a Escola e a Associação de Pais desconheciam o que era do conhecimento geral, que existem muitos casos naquela Escola de agressões e no JN de hoje (04-03-10) vem mais uma mãe a dizer que a filha também já teve de ir tratar ao hospital agressões sofridas naquela Escola.
Ser representante de uma Ap para desconhecer a Escola que pertence, mais valia ficar calado e dar a vez a outro.
Contudo o mais importante é reforçar o apoio dado à família desta criança e levar-nos a pensar que podemos fazer muito mais pelas nossas crianças, do que o que temos feito.

Mas disso falaremos mais adiante.

LEANDRO, DESCANSA EM PAZ E DESCULPA POR NOS OS ADULTOS NAO TERMOS CUIDADO DE TI

4 comentários:

josé disse...

É lamentavél qualquer morte ainda mais nesta idade 12 anos.
Todos nós somos culpados Pais,professores,firectres,governo.
Os pais destes adulesçentes que causaram esta morte não acompanham seus filhos?Não querem saber. Esta nova geração RASCA esta insurretada que nada faz não quer estudar o Ministerio de Educação deveria de expulsalos das Escolas publicas e colocalos nas casas de correção estamos num Pais de mer........

Anónimo disse...

Eu só conheço a caso pelo que tenho lido e visto nos meios de comunicação social.
Mas na minha modesta opinião não será só a escola a ter culpa no cartório.
A escola tem responsabilidades mas principalmente os pais do Leandro tambem que não souberam defender o seu filho.
Desde o momento que um filho chegue a casa marcado por violencia ou que vá para ao hospital por violencia na escola os pais deveriam ter sido os primeiros a impor-se perante a escola.
Não foi a 1ª vez que a criança tinha sido agredida pelos colegas muito pelo contrario já se tornara um habito, com direito a visitas aos hospital.
Onde estavam os pais que não souberam o defender?????
Onde estava os directores da escola que não souberam ou não se importaram em travar esta situação e acabar com ela?
Onde estavam os colegas que sabiam da situação e nada fizeram?????
E onde estava o dito apoio psicologico que agora é dado aos agressores mas que não foi prestado á vitima?????
E os pais dos agressores será que foram devidamente informados das atitutes dos seus filhos????
Na minha cabeça de mãe não cabe sequer a hipotese de algum dos meus filhos ser maltratado e eu deixar andar porque a escola ou qualquer outra instituição não se interessou devidamente pelo caso.
A negligencia foi geral e fatal para com esta criança.
Independentemente de tudo a criança viu-se desamparada e desprotegida pela escola pelos próprios pais e pela sociedade em geral.

Daniel Fernandes disse...

Caro irmão tens razão, em parte.

Daniel Fernandes disse...

Caro anónimo, as suas palavras vêm ao encontro da minha opinião.
TODOS falharam com o pequeno Leandro.
Obrigado pela visita.