Alunos 12 horas nas Escolas.

Muito se tem falado das Escolas estarem abertas doze horas diárias.
Não entendo o porquê da questão ser considerada por muitos de incómoda e que seria como as Escolas passarem a servir de depósitos para os pais lá colocarem os filhos,
Vamos então falar e procurar esclarecer aquilo que para mim já está mais que esclarecido, mas como alguns teimam em não perceber….
A proposta é de que as Escolas abram às 08 da manhã e encerrem às 20 da noite.
Ora os docentes apenas terão de dar aulas no seu horário normal e depois os alunos terão as Aec`s e depois sim terão outro tipo de actividades até ás 20 horas.
Ora quem já deixa os filhos nas salas de estudo ou infantários e depois vai lá buscá-los ao fim da tarde já cumpre esse ritual.
A única diferença é que os pais que não podem colocar os filhos nos infantários ou salas de estudo, puderam ficar descansados pois os seus filhos já não terão que ficar com outras pessoas sejam familiares, vizinhos ou conhecidos que muitas das vezes nem dos seus filhos cuidam.
Não será melhor os nossos filhos estarem num local educativo como a Escola em vez de andarem na rua como temos visto os casos de delinquência juvenil que nos dias de hoje infelizmente são notícia diária nos noticiários?
Claro que as Escolas terão que, ao dar este apoio, os pais teriam que provar que o seu horário de trabalho não permite irem buscar os seus filhos mais cedo para que não deixem os filhos abandonados nas Escolas.
Mas também é curioso que alguns dos maiores nomes do nosso Pais, estiveram em colégios internos em que só iam ao fim de semana a casa.
Pergunto eu se esses pais também abandonavam os filhos em depósitos?
Afinal só eram pais aos fins-de-semana.
E temos grandes exemplos disso.
Claro que as escolas que não podem fazer obras para criar espaços próprios para esse efeito podem sempre fazer parcerias com as salas de estudo para utilizarem outras instalações para esse efeito.

Entrega de Diplomas na Ap da Eb1 da Triana.



Realizou-se no dia 16 de Abril de 09, a entrega dos diplomas da formação de informática que aos pais e encarregados de educação foi proporcionada.Com a presença de todos os parceiros que colaboraram nesta iniciativa, Dr. Fernando Paulo, Vereador da Educação da Câmara Municipal de Gondomar, Dr. Jorge Ascenção Presidente do CE da FAPAG , Sr. Delfim Azevedo Presidente PMAG da FAPAG, Prof. Sérgio, PCE do Agrupamento, Prof. Ana Paula Coordenadora da nossa Escola, Associação de Pais da EB 1 da Triana e o Sr. Hélder Peixoto representante da FDTI.
Foi reconhecida, pelos convidados e também pelos participantes, a importância das AP nas Escolas enquanto parceiras empenhadas na formação, desenvolvimento, cooperação e apoio aos pais, alunos e aos demais intervenientes na educação escolar.
Todos os formandos foram felicitados pelo empenho, dedicação e por demonstrarem vontade de continuar com mais e nova formação.
Isto mostra o empenho dos pais em serem colaborantes e em agarrarem as oportunidades que lhes são dadas.
Assim vale a pena o trabalho despendido em prol de todos e reforça a vontade de todos os parceiros em fazer mais e melhor.
Se agora foi bom, então da próxima vez tem de ser excelente.
Porque cada vez mais temos a certeza que este deve ser o caminho das AP e não serem apenas uma entidade de reclamações do que vai mal nas Escolas.
Queremos ser, cada vez mais, parceiros construtivos, não deixando de estar atentos às necessidades das escolas, sejam de infra-estruturas sejam de outra ordem.
A AP da Triana vai continuar nesse caminho e com a excelente colaboração da FAPAG, de grande disponibilidade, ética e dignidade, de que muito nos honramos ser associados e parceiros, esperamos continuar a desenvolver trabalho de qualidade para toda a comunidade escolar do nosso lugar.

Formação para os Pais na Eb1 da Triana.

Ainda voltaremos a falar nesta frase que criei para a entrega dos diplomas na Ap a que pertenço.
Na verdade este titulo tem muito que explorar.



Promessas de politicos.

Hoje falo de algo que me parece correcto fazer quando as promessas não se cumprem.
Estando eu no Movimento Associativo de Pais e fazendo parte do Conselho Geral, tive conhecimento de que o decreto-lei 75/2008 diz que o Director eleito, caso não cumpra o prometido aquando da sua candidatura para o cargo que ocupa, pode ele ser destituído pelo Conselho Geral e irá ser aberto outro concurso para nomear outro Director.
Digo isto porque vêm aí as eleições e como seria bom poder fazer o mesmo aos políticos que prometem e não cumprem.
Os políticos deviam apresentar quem vai fazer parte do seu Governo, o que se propõe, se tem condições para fazer o que se compromete e se tem currículo para isso.
Depois, se nada ou quase nada fosse cumprido, destitui-lo do cargo.
Garanto que depois tinham mais cuidado no que falam.
Concordam?