Amar aos 40. (13)

Amor, hoje é domingo, dia dedicado aos namorados para se encontrarem, namorarem, matar saudades quando não se podem encontrar durante a semana.
Agora temos todos os meios para falar-mos mesmo à distancia, mas à uns anos atrás, termos o domingo para namorar já era uma alegria.
Hoje, mesmo a distancia podemos falar, ver-nos um ao outro, trocar sorrisos, enfim, podemos namorar como duas pessoas que se amam.
Um dia estaremos juntos, quem sabe num domingo á tarde como dois jovens que os pais só lhes deixam sair ao domingo.
Para passearmos pela cidade, pelo campo, ver o pôr-do-sol juntos numa rocha da praia que será a mais Bela praia enquanto tu lá estiveres.
Nesse pôr-do-sol poderei te dizer o quanto és importante na minha vida.
Ou melhor, poderei te dizer que és a minha vida e sem ti não vejo dia seguinte.
Posso parecer tolo mas é assim que sou, um tolo apaixonado.
Como a vida é Bela contigo.

Amar aos 40 (12)

Estava na praia pensativo a observar a força das ondas do mar.
Força essa que não se via, mas sentia-se nas ondas, arrastando tudo que vinha com elas.
Força essa que move tudo e todos.
Força essa que não se vê mas sente-se, que existe e sabemos que está lá.
Essa força tanto trazia a água do mar, como a levava.
Essa força o que dava, também tirava.
Via as ondas que dominavam o mar, e ele impotente, obedecia as ondas fazendo tudo o que elas queriam, indo ele para onde as ondas mandavam.
O mar com a sua magnitude é incapaz de controlar a força das ondas, apenas lhes obedece.
Assim é a força do amor.
Não se vê, não se toca, não tem corpo, mas tem alma e sente-se no nosso interior.
Não se controla para onde ele vai, nem para quem vai.
Assim que nossos olhos vêm, ou nossos ouvidos ouvem a pessoa em questão, sabemos que é essa pessoa.
Não podemos controlar por quem nos apaixonamos, mas podemos a conquistar todos os nossos dias das nossas vidas.
Nesse dia na praia pode entender a força do amor.
Ele não se vê, mas é o que mais se sente por todas as pessoas.
É o que todos os humanos têm mais em comum.
Nesse dia na praia meu amor, eu entendi que a força que não se vê é a mais forte.
Nosso amor é a força mais forte que existe.
Assim como a força do mar dava a água e depois tirava, assim a força do amor dá-nos o amor também o tira se não o cuidarmos.
Acabei por vir da praia mais feliz do que já estava por te amar, pois descobri que mais ainda posso te amar e te fazer sentir amada.
Assim a vida é mais Bela.

Amar aos 40. (11) Pensamento unido.

Quando penso em ti, eis que estas a pensar em mim.
Quando as saudades apertam, recebo uma chamada tua a dizer; estou a pensar em ti.
Quando meu corpo deseja o teu, os dois ficam suados como se estivessem interlaçados um no outro.
Sinto o teu beijo e eis que nossas bocas ficam com o gosto uma da outra e seus calores de desejo.
Quando sonho contigo, eis que estas la à minha espera para sonharmos juntos.
Nossos pensamentos cruzam-se como se estivéssemos juntos e não houvesse distancia entre nos.
E não há.
Nossos corpos não precisam de estar em contacto para estarmos em perfeita união, apenas nosso amor.
Quando penso em ti, estou em mim, pois somos um só.

Amar aos 40. (10)

Amor, está tudo acabado.
Não adianta mais esconder.
O que sinto por ti, faz-me ver que o passado terminou.
Sou assim e nada há a fazer.
Mais cedo ou mais tarde, todos saberão o significado deste amor, que não tem dor.
Nós podemos conseguir se quisermos, e assim o passado está acabado.
Amor, acabou, o nosso amor venceu.
Diz-me amor, que correu mal no passado para não te ter encontrado mais cedo.
Os anos que perdemos, a felicidade que podíamos há muito ter tido.
Iríamos acabar por nos encontrar.
Sei que sim.
O amanha, é para sempre, ao teu lado com todos sacrifícios que a vida tem.
O amanha, és tu meu amor.
A minha vida é contigo.
A vida é Bela.

Amar aos 40 (9). Esperei……

Esperei descobrir o que era o amor, durante toda minha vida.
Esperei para sentir o que é ser-se amado.
Esperei sentir um dia, um sentimento que me ultrapassa-se de todo o que até então eu havia sentido.
Esperei por ti meu amor, que me fizesses sentir o que só em sonhos sentia.
Desesperei e pensei; não vou nunca saber o que é isso de estar apaixonado, viver só para aquela pessoa, o que é sentir que alguém nos ama de verdade.
Esperei.
Esperei e num acaso ou obra do destino te encontrei quando estava preparado para amar.
Esperei e tu sempre ali, há espera de ser amada e eu agora pronto para ser amado.
Esperei estar pronto mas não estava.
Esperei saber o que fazer com este sentimento mas ele é mais forte do que eu e me desarmou e me faz entregar-me todo, de corpo, alma e coração.
Esperei mas finalmente te encontrei.


Livro: Amar aos 40.
De minha autoria.
http://estadodasnacoes.blogspot.com/

Amar aos 40 (8) Perguntaram-me........

Perguntaram-me meu nome e eu respondi; Amado.
Perguntaram-me como estava e eu respondi; Apaixonado.
Perguntaram-me se estava tudo bem comigo, e disse eu; Bem amado.
Perguntaram-me se era poupado e eu falei; não, eu esbanjo todo meu amor e não o poupo com a pessoa amada, porque para que poupar no amor?
Perguntaram-me se já tinha conquistado a dita mulher amada e eu respondi; não, pois enquanto estou aqui ainda não lhe disse que a amava, e não se conquista ninguém, vai-se conquistando a pessoa todos os momentos em que estamos com ela.
Perguntaram-me que mais gostas de fazer; e eu respondi, amar a pessoa amada e ser amado.
Perguntaram-me qual tua prenda preferida, e eu falei; essa não a peço pois já a tenho.
Perguntaram-me qual era a prenda e disse eu; ter sido me dado a conhecer o amor.
Perguntaram-me o que era para mim a vida e eu afirmei; a vida é Bela.

Amar aos 40. (8) Se contigo falho……

Amor, contigo nenhuma falha quero ter.
Contigo nunca quero errar, nem nada de errado pensar.
Contigo não penso errar, mas se acontecer, perdoa-me.
Quero ser para ti o amor-perfeito, mas se não o sou quero que me ensines a amar em perfeição o amor da minha vida.
TU.
Tu que me ensinaste a amar não mereces que contigo venha a errar.
Mas errar é humano?
Então humano não quero ser.
Errar para que?
Quando em vez de errar, se pode amar?
Falhas eu vou ter, e não vou me perdoar, mas ao menos tu, se contigo falhar, espero que me venhas a perdoar.
Falhar pode acontecer, embora espero não falhar.
Mas viver na falha, isso meu amor nunca vai acontecer.
Porque o meu amor por ti é mais forte que as falhas.


Livro: Amar aos 40.
De minha autoria.
http://estadodasnacoes.blogspot.com/

Aborto espontâneo.

A todos as mulheres que passaram por ter pelo menos um aborto espontâneo, deixo aqui minha homenagem e desejo que superem isso, que é uma sensação terrível e indesejável.
Toda a mulher que passa por isso não deve ouvir lamentos nem criticas ou se lhe atribuir culpas.
Com certeza que se pudessem, não passariam por isso.
É horrível e quando mete raspagem ainda mais o é.
Essas mulheres necessitam de muito apoio, de carinho e de ouvir palavras como: Força, na próxima consegues; Então menina, força e toca a dar a volta por cima, etc.
Nunca palavras de bota a baixo e que lhes façam sentir culpadas do que não são.
Muitas querem e volta a acontecer, mas não desistem.
Falo por experiência própria.
E foram duas vezes.
Até que a terceira nasceu o meu filhote, com mais energia do que a que eu consigo acompanhar.
Quer isso tenha acontecido, uma duas ou cinco vezes, nunca desistam.
Há quem já tenha passado por cinco tentativas e na sexta conseguiu.
Nunca baixem o ânimo.
Falar é fácil?
É.
Mas falo do que vi e acompanhei de perto.
Não é fácil, mas é por isso que as mulheres têm a força que têm.
Deixo aqui estas palavras de homenagem e de obrigado por não desistirem e graças a isso terem dado a luz vidas que pelo que passaram são ainda mais amada.
Bem ajam a todas.

Amar aos 40 (7)

Amor, sinto o chão a me fugir, o ar a me deixar, a minha boca a deixar de sentir o sabor das coisas, minhas mãos sem tacto, meu coração sente-se perdido, abandonado, a angustia me invade e me toma a alegria que habita em minha alma, tudo isto por pensar que um dia te poderia perder.
A minha vida só é vida se comigo estas, se entre nós há paz, amor e carinho, e isso não nos tem faltado.
Ainda assim, quero-te ganhar a cada dia que passa, conquistar tua companhia, merecer teu amor, ser digno de em teu coração estar.
Ser digno de te amar, poder estar contigo quando fisicamente não estas comigo.
Sentir que apesar da distancia ser grande, estamos mais próximos do que nunca.
Amar outra pessoa não quero amar, contigo sempre quero ficar.
Acordo e não te vejo em corpo mas vejo-te em alma.
Estas comigo nos meus sonhos e em meu coração, o que me consola no meu dia a dia.
Sem ti, estou perdido no tempo, a vaguear pelo tempo, sou corpo sem espírito, sou gente perdida que não tem identificação possível pois não existo.
Sem ti nada sou nem gente.
Acordo sem vida, mais valia não acordar.
Ando sem rumo, de que me serve ter pernas para andar.
Tenho braços, mas de que me servem senão para te abraçar, mesmo a distancia.
Sou sem ser, um ser que não tem ser.
Não, eu não quero viver assim, por favor acordem-me deste pesadelo, tirem-me daqui, por favor, por favor.
Sem ti nada, mas nada existe.
Fazes-me falta e isto tudo que eu aqui escrevi apenas por nos desencontrarmos e estar um dia sem te ver, nem que fosse através de uma Webcam, senti que estava perdido.
Foi quando me lembrei de olhar para dentro, dentro do meu coração e afinal lá estavas tu, aconchegada em meu amor a dizer-me; AMOR, ESTOU AQUI..

Livro: Amar aos 40.
De minha autoria.

Amar aos 40. (6)

Olá meu amor.
Vou te contar meu sonho.
Adormeci ao som de uma balada, escutada enquanto eu sonhava contigo.
De repente no meu sonhar, viajava eu contigo para uma ilha sem nome.
De repente já não estava deitado na minha/nossa cama onde mesmo estando distantes eu a partilho contigo, pois estas sempre comigo.
Senti algo diferente, pois olhava e via-te de frente a mim e no teu rosto eram só sorrisos, sorrisos de felicidade, onde se podia ver através de teus olhos que não havia tristeza alguma em teu coração, era tudo felicidade.
Senti que naquele momento eu enchia meu coração com toda a felicidade que me transmitias sendo que tu também eras contagiada por a felicidade que eu te dava.
Mas se eu te dava felicidade era porque a recebia de ti, do teu amor por mim.
Era uma loucura, nós dois ali naquela ilha a viver um amor que seria impossível naquele momento fisicamente mas que ao mesmo tempo era tão real.
Trocamos olhares, beijos de fogo, carinhos de ternura e amor e fazíamos amor como se fosse a ultima vez que o faríamos.
Aproveitávamos para fazer juras de amor eterno e com essas juras viveremos pois são as mesmas que temos na vida real.
Declaramos o amor que temos um ao outro e sobre essa declaração demos nossas vidas um pelo outro.
Entreguei-te meu coração, com o teu fiquei e prometi-te cuidar bem dele e nunca magoa-lo.
Naquela ilha eu descobri que o amor não é só a palavra mas também actos.
Por em pratica o amor que tenho por ti, é o meu desejo que te prometi fazer na ilha.
Abracei-te com fogo de paixão, mas também carinhosamente, como de uma flor se trata-se para não machucar.
Tão depressa éramos fogo e paixão a rolar pela areia daquela ilha, como dois gulosos pela vida, dois insaciáveis, dois selvagens no sexo que não era sexo mas sim puro amor, como também éramos um casal pacifico, que só queria trocar carinhos e miminhos até que seus corpos aquecessem e pedissem algo mais. Muito mais.
De repente nossos corpos enquanto trocávamos quentes beijos, eis que levitávamos no ar, voando sobre todos sem que ninguém nos visse pois éramos apenas um sonho e por onde passávamos as pessoas deixavam suas lutas e guerra fúteis e começavam a sorrir para elas próprias, ficavam em paz interior e com vontade de amar seus amores fossem eles seu par, crianças ou vizinhos, enfim as pessoas sentiam o nosso amor que as contagiava sendo que a nossa felicidade dava a volta ao mundo, tendo nós voltado para a ilha, ainda mais felizes, não tendo por um segundo descolado desse beijo que ardia em nossas bocas.
Se mais sonhei, desculpa não me lembrar, mas amei o que me lembrei e para ti falei.
Desta forma te digo, que se não mais acorda-se, morreria feliz contigo naquela ilha.
Sabes, a vida contigo é Bela.

Amar aos 40 (5).

Duas pessoas caminhavam pela praia ao encontro da maré só ouvindo as ondas do mar, percorrendo a areia molhada vendo o pôr-do-sol a ficar mais intenso, intenso como o seu amor o sol parecia uma chama viva, viva como o amor que esse casal sentia um pelo outro, chama essa que lhes aquecia a alma o corpo no frio da noite, noite essa que se aproximava ao encontro desse casal.
Casal esse que na loucura do momento belo que vivia não via nada mais naquela praia, só eles existiam nesse mundo, foi um passeio que lhes tinha levado à loucura total em que eles descobriam nesse exacto momento que jamais poderiam viver um sem o outro.
A noite entrou e eles permaneciam na praia namorando, se aquecendo no frio da noite mas com a chama acesa nos seus corpos do amor que tinham um pelo outro.
O amor era tal que se entregaram em pleno de fervor num beijo, terminando apenas largos minutos depois, para descanso de seus lábios.
Depois seus corpos pediam mais, mas depois numa troca intensa de olhares descobriram que ainda não era a hora certa para mais avançar.
Por ali ficavam, não seguiriam em frente pois não queriam estragar o momento com uma decisão que ainda não tinham ponderado.
Ao se despedirem daquele local, beijaram-se e como por magia nesse momento sem nada falarem e sem seus lábios descolarem eis que disseram SIM é agora e se entregaram de corpo e alma na sua primeira relação de corpo e alma.
Como por magia eles descobriram que afinal não há tempo para programar o amor, mas sim o amor programa tudo nas nossas vidas.
E assim mais um casal vinha embora da praia preenchida de amor, amor esse que mesmo antes de se entregarem um ao outro tinha ficado mais forte ao ponto de ouvirem falar a alma um do outro.

Amar aos 40 (4).

Depois no luar, um casal a namorar e a seus prazeres se iriam entregar, entre a brisa da noite e o calor dos corpos, eis que o prazer tinha razão de ser e de acontecer para um acto se consumar no amor de duas almas e dois corpos apaixonados e entre a brisa e o calor de seus corpos, o amor fluía de dentro para fora mas mais era pedido aos dois pois era pouco se amarem só naquela altura, teriam que ficar juntos.

Amar aos 40 (3)

Dos lábios que me beijaram, dos braços que me abraçaram, já não lembro, nem sei, são tantas os que me amaram, são tantas as que amei, mas tu que rude contraste, tu que jamais beijaste, tu que jamais abracei, só tu em minha alma ficaste, de todas as que amei.

Amar aos 40. (2)

Aqui estou eu, apaixonado e entregue a uma paixão que me consome todo o meu amor.
Eis me aqui meu amor, entregue à tua alma, ao teu amor, entregue de alma e coração.
Eis me aqui para te amar e minha vida te dedicar pois a vida é BELA para mim e nunca será mais a mesma depois de te ter conhecido.
Foi a 29/07/08 data essa em que começamos a contactar com mais força e que eu vi que estava a ser tomado por ti, pela tua pessoa, pelo teu amor.
Não é algo físico pois a distancia nos impede desses contactos, mas sim da pessoa que és meu amor.
Da tua maneira de ver a vida, da maneira que me vez, da maneira que olhas, de tudo em ti meu doce.
Não imaginava que o amor fosse tão belo.
Casado há 15 anos e descubro agora que não era amor que tinha pois amor é o que sinto agora.
Não amo por sexo, não amo por fantasias sexuais que não se tem no casamento, não é por isso.
Nem posso trocar pois há filhos no meio, e a distancia impede de estarmos juntos e não há como vivermos juntos.
Troco apenas no meu coração pois esse chama por ti e se troco é porque dás-me o amor que mais ninguém dá.
És a tal, a que os meus sonhos chamam, a pessoa que queria ver pela manhã, a pessoa que passo a ver sua foto no telemóvel, a tal que quando desejo estar com alguém, eu clamo por ti.
Nosso amor é quente como as temperaturas em BEJA, como o sol do Algarve, e límpido como a água das nascentes do Caramulo.
Como vez nosso amor percorre todo Pais, é Nacional e o que é Nacional é bom.
Posso dizer muito mais de ti e vou dize-lo com certeza.
Neste livro, vou gritar em silêncio o que não posso dizer da boca para fora.
Os dedos falam no teclado o que não podem falar os lábios, mas se estivesse contigo mais falariam os dedos ao passar com minha mão no teu corpo, te acarinhando.
Um dia quem sabe…

Livro: Amar aos 40.
De minha autoria.

Amar aos 40.

Amar aos 40.

Afinal o verdadeiro amor existe, mesmo que seja descoberto aos 40 anos de idade.
É possível amar, descobrir emoções que nunca sentimos mesmo já depois de casados.
Descobrir que afinal o amor só aparece na hora certa, mesmo que seja com a pessoa casada ou com outra pessoa.
Sabe bem dizer “eu sei o que é o amor”.
Mesmo que essa pessoa esteja longe.
Mesmo que comece por simples “olá tudo bem” e depois da aquele clic e nosso ser passa a só ver aquela pessoa.
Essa pessoa que surge como o vento, que passa e leva tudo com ele, assim essa pessoa leva o coração de quem apenas olhou para ela, por curiosidade, atracão, simpatia, enfim por algum motivo.
Esse coração que sente o que nunca sentiu antes, mesmo que seja casado ou muito vivido, fica inofensivo e sem hipótese de se defender do amor, que tudo leva, seja o carinho, as lágrimas, o afecto, tudo mas mesmo tudo.
É possível viver com alguém muitos anos e de repente descobrir que aquela pessoa que esta ao nosso lado é mesmo a “tal” ou não.
Que afinal é a amiga ou a desconhecida que num encontro casual, seja num passeio, na net ou de outra maneira qualquer, que é essa pessoa que queremos para toda a vida.
Vida essa que nunca será a mesma.
Seja essa pessoa de perto de nós ou de um Pais bem lá longe, ou simplesmente do Minho ou Beja.
Se descobrimos o amor, devemos vive-lo seja de que maneira for.
Como dois adolescentes apaixonados?
Não.
Como dois quarentões que já sabem o que querem da vida e como querem fazer da vida.
Ainda que nunca possam viver juntos, que se possam amar apenas amar à distância, esse amor é possível.
É possível porque nem só de contacto físico o amor existe, embora se possível ainda melhor.
Como se amam duas pessoas que vivam longe por motivos de trabalharem em Países diferentes ou internados em hospitais ou os que por infelicidade estão presos?
Eles amam-se à distância, mas amam-se.
Estar sempre ansioso por uma mensagem da pessoa amada, receber com carinho suas chamadas como se fosse a ultima vez que isso acontecesse, para sempre frisar que “eu amo-te”.
Nunca deixar de dizer isso pelo menos duas vezes por dia.
Ao acordar e ao deitar.
Olhar no rosto da pessoa, seja pessoalmente, ou por ecrã, e interronper a pessoa e falar “olha eu amo-te”.
Por muito que nós olhemos a preconceitos o certo é que devemos ser FELIZES.
Seja por quem prometeu nos amar, mas não o cumpre, seja por quem mesmo sem prometer ou assumir compromissos nos ama e faz-nos felizes.
Eis o que penso sobre este assunto.
Vá lá, sejam felizes com quem vos ama.
Essa sim é a pessoa a quem deveis amar e por quem deveis ser amada.
A traição existe, mas o que é trair?
Amar quem realmente nos ama?
Ou negar o amor de quem nos amos por um amor que nada nos diz, pois se assim fosse nosso coração não deixava mais ninguém entrar.
Pensem nisto e digam algo ao vosso coração.


“Esta mensagem é um Pensamento, algo que é minha opinião própria.
Não é um incentivo a traições.”