Escola da Torrinha no Porto.

Na Escola da Torrinha no Porto, uma escola com mais de 400 alunos, foram feitas obras no Verão passado.
Contudo a Escola ficou pior do que estava.
Senão vejamos.
Antes:
Infiltração de agua.
Portas a precisar de reparações.
Agora:
Inundações e um tecto já caiu.
Portas novas mas empenadas.
Estas denúncias partiram da Associação de Pais (a quem saúdo) que assim demonstrou estar atenta aos problemas na referida Escola onde os seus filhos estudam.
Também de lamentar é o facto de terem tirado os telefones das salas de aula, obrigando a que cada docente que receba uma chamada tenha de se ausentar da sala de aula, perturbando assim o normal funcionamento da aula.
Segundo Matilde Alves, presidente da empresa municipal Domussocial, responsável pela reabilitação das Escolas primarias do conselho, ficou insatisfeita pela situação e pelos fiscais não terem pressionado o empreiteiro a corrigir rapidamente as anomalias.
As obras ainda estão dentro da garantia.
É de lamentar esta situação e ainda mais numa altura em que a nova lei da Gestão das Escolas confere ás autarquias a competência de manutenção das nossas Escolas, mas é de louvar a prontidão da Senhora Matilde Alves em corrigir a situação.

3 comentários:

Anónimo disse...

Ainda há quem trabalhe em prol dos nossos alunos.

Daniel Fernandes disse...

Sim é verdade.
As ap têm sido um braço direito dos alunos e das escolas.

Anónimo disse...

eu acho que em relação aos prof. a DREN devia estar mais atenta ás queixas, porque ouvi dizer que a professora ISABEL MATOS batia nos alunos porque eles não sabiam algum exercicio. A partir dessa altura comecei a detestar a escola e essa professora